gravidade
2 de junho de 2017 | 11:56 PM | 0 comentários

eu falei ao mar que não há subidas, apenas descidas. eu disse ao céu que não existe abaixo, apenas o que há em cima. minha mente é como asas de borboletas meu corpo é como um balão de hélio. sinto o som do estático lento, triste, o som da minha vida inteira. uma vida inteira recebendo interferências e falhas de transmissão. não acredito que esqueci como é o som da chuva.

Marcadores: