24 de novembro de 2017 | 1:56 AM | 0 comentários

hating yourself so much that you believe youll never find hapiness with anything or anybody nor that you deserve it so you never try anymore and youve come to terms with the fact that youll be forever alone but yet it still make you depressively alone and more self loathing

Marcadores:

Linda como uma flor de carne.
| 1:55 AM | 0 comentários

Eu não tenho amigos, mas tudo bem.
Há momentos em que me pego que não consigo fingir que estou bem. Sem esperança, desesperada. E estou com medo de que esse sentimento nunca saia de mim.
Eu não presto atenção nessas notícias de fim de mundo. Ele já teve fim pra mim tantas vezes. E toda manhã recomeça;

Às vezes eu penso que estou só vegetando.



I wish i could hold you for a little while.



Marcadores:

Eu (não) estava feliz quando escrevi isso
| 1:54 AM | 0 comentários

Eu sou o tipo de pessoa que se senta no chão do banheiro, chorando e odiando a si mesma para logo depois sair e caminhar normalmente como se nada tivesse acontecido.
As palavras não veem facilmente quando estou a escrever para você. Não quando estamos bem. Acho que sou a reencarnação de algum poeta mal sucedido da época romancista. Aquele que só consegue escrever quando algo ruim acontece. Alguém que só consegue se expressar quando desgraça acontece.
No one can save you from yourself.
E as noites eu sempre imagino você ao meu lado com os braços ao redor do meu corpo, me envolvendo, pressionado contra o meu. Me ajuda a dormir.
E tudo que eu consigo imaginar é essa tristeza que invade meu coração. É como se todas as outras emoções estivessem mortas.

Marcadores:

| 1:44 AM | 0 comentários

I find myself hunting the truth but find the unexpected. I found what my senses couldn't show me. I found the truth that relays silently in the unknown.
My name is León, I'm currently 92 years old and living alone in a little house far away of the city. I have to admit, I never was fond of jewelry, houses or clothing. Since childhood i always talked to animals, plants and insets even though i never got a response, i never quit. If you are reading this, maybe you are looking for answers, maybe you can see things that others can't or you feel what others avoid. And become one with everything.

I can't stop it. I can't control it. I see the black shadow everywhere. The blood, the messages, the screaming, all the pain. I can't figure it out why this is hapenning to me.

I don't need to hide from pain anymore, because its a part of me. It feels like love, is everywhere and in everything. I enjoy crying i enjoy laughing I enjoy being alive.

I dream of thousand of black cats surrounding my house. Big yellow eyes starring at my sleep.

I had a vision. Is still breathing fear, i feel at war on my own mind. One of the shadow came down from sky. I thought it was na angel. Its name is Remor prince of darkness, from the fifth reality. It talked to me played with me and show me all the terrors... It told me that i was the key to its existence.

I can see myself around. The other me tell me lies, talks about all the pain and suffering in my life.
The other me wants me to commit suicide. He esiles while pronounoing the words: Kill yourself. And i have tried, hypnotised by his words, but there is always something saving me at the end... It must be the love to live. I seet a shadow, for the first time it talked to me.

We are born and feed from fear and the uncontrolled illness of human mind. We are invisible to them, but our existence grabe every single living cell of the body until the end.





I wish i could find a friend just like me. People thinks i'm insane.

Marcadores:

Meus olhos não são mais meus olhos.
| 1:42 AM | 0 comentários

Não são os meus olhos, meus olhos. Alguém passou aqui, lhe digo, e arrancou os que me pertenciam e deixou estes que tanto me incomodam. Digo... Ainda sou eu. Sim, sou. O mundo continua o mesmo... Sabe quando se tem a impressão de ver um vulto passando quando se olha para o outro lado? Às vezes acho que uma velha árvore me persegue e deixa folhas ásperas caírem sempre que me viro. E elas brilham. Sabe quando se deita olhando para o céu e pequenas partículas semitransparentes são vistas vagando? Tem-se passado dias sem que elas sumam. Hoje durmo com minhas amigas leves. E costumava pensar que precisava do sol para vê-las. E meu quarto... Ah, o meu quarto! Tem as mesmas coisas, o mesmo cheiro e clima quente. Paredes azuis, roupas espalhadas e com comida por todo lado. Mas esses olhos... Não são meus. Não sei lhe explicar como seriam os meus, só sei que estes não são. Ardem, às vezes, e por seguidos minutos. Choram por conta própria e deixam de enxergar as cores. Isso é doença? Tenho tias que sempre dizem que existem doenças que ninguém explica. Alguém saberia o que tenho se eu dissesse o que sinto? Sinto, acima de tudo, agonia. Procuro cicatrizes nas têmporas, riscos nas pálpebras, e nunca acho nada. Nasci com esses olhos? Não é possível! Não me lembro de tê-los tido antes. Há algum tempo. Dois meses? Não, não. Mais que isso. Três anos, talvez. Não me lembro muito bem de como eu era naquela época, mas era quase igual. Quase. O motivo são esses... Por que repetir? Não são e ponto. Ponto. Ponho óculos escuros e saio para a rua, vejo a cidade quase igual, as pessoas quase iguais. Passo em frente a uma pequena loja de roupas, vejo minha imagem no vidro. Ando um pouco torta, ombros baixos. Resolvo tirar os óculos e lá estão eles, olhando-me com a bravura que nunca tive, encarando-me como eu jamais ousaria fazer. São tão audaciosos e fixos que não me atrevo a piscar. A atendente pergunta se eu preciso de ajuda. "Preciso, moça, mas a senhora não poderia me ajudar". Saio dali. Não me pertencem e não gosto do jeito como me olham, me fazem parecer alguém de verdade, alguém que mudou e não avisou a ninguém, alguém que viu muitas coisas e esqueceu poucas - as que não deveriam ser esquecidas. Alguém que uma vez eu quase me tornei, e que acabei não me tornando por pouco. Muito pouco.

Marcadores:

#13 Trivialidades
| 1:38 AM | 0 comentários

Em que ponto os pensamentos intrusivos se tornam suicidas? Porque foi o que eu pensei ter. Apenas pensamentos intrusivos, como atravessar a rua e me perguntando se o caminhão me atinge. Tomando alguns analgésicos e me perguntando se eu o frasco... Mas é claro que não faço nenhuma dessas coisas. Eu permaneço na minha, olhando para os dois lados ao atravessar, tomando a dose recomendada. Eu sei que tenho alguma forma de depressão. Mas eu tenho estado em um estado de depressão que não consigo me concentrar, e com o estresse do trabalho/faculdade/relacionamento/família esses pensamentos intrusivos estão se inserindo cada vez mais. Fazendo-me lembrar de cada vez que minha mãe ameaçava se matar quando eu estava crescendo. Eu vejo todas essas mensagens pedindo para eu ser forte. Tenho todos esses pensamentos que querem sair, mas, ao mesmo tempo, não quero falar sobre isso. Mesmo digitar aqui é difícil. Eu realmente não sei mais aonde vou mais com esta publicação, eu só preciso tirar esses pensamentos da minha cabeça e, se eu não puder falar com as pessoas na minha vida, acho que meu blog anônimo é o próxima melhor opção.

Marcadores:

colcha de retalhos
| 1:31 AM | 0 comentários

sei lá
| 1:29 AM | 0 comentários

Late night thoughts
Just really not feeling great .
Wish I could find out what the cause of all this was but my thoughts are clouded with how I am feeling now and it’s hard to see the ending to this.

Marcadores:

#12 trivialidades
| 1:28 AM | 0 comentários

Demorou para que eu voltasse a postar aqui mas eu finalmente voltei. Eu não me sinto feliz. Acho que é verdade aquilo que dizem que não se pode ter tudo. Mas agora, eu não tenho absolutamente nada. Eu terminei com o meu namorado, porque eu sou louca, e eu não queria magoá-lo. ou, como ele disse, terminei porque não queria que ninguém tivesse que me aturar. Eu quero fazer esse favor às pessoas. Eu quero ficar sozinha. Eu preciso ficar sozinha. Eu me sinto tão triste e ao mesmo tempo, tão... leve. Acho que perceber isso era o que eu precisava. Eu realmente vou ser a velha dos gatos. Eu já sou a velha dos gatos, com apenas 20 anos. Eu sei que é pessimismo pensar assim. Mas eu acho que estarei melhor assim. Eu sei que estou cometendo o maior erro da minha vida. Mas já foi decidido.

Marcadores:

I think like i'm going to cry
| 1:24 AM | 0 comentários

É isto

Marcadores:

(Meus sentimentos são fatais)
| 1:18 AM | 0 comentários



Estou feliz por você
Estou sorrindo por você
Eu faria qualquer coisa por você
Por você.

É sempre pra você
E nunca pra mim
E então eu preciso parar
E preciso te contar, por favor
Estou sempre triste
Sempre solitária

Só não posso te contar
Que estou desmoronando lentamente

Portas fechadas
Tudo devidamente trancado
Deixando meus sentimentos escondidos
Não é nada fácil

Eu preciso disso para parar
E eu quero ser capaz pra me abrir, 
Mas
Meus sentimentos são fatais

Marcadores:

Antiguidade.
17 de outubro de 2017 | 11:02 AM | 1 comentários

O Itinerário da Escuridão
Adormecido em minha comiseração
Envolto pelo meu desencanto
Vejo as almas ainda perdidas, sozinhas, esvaindo-se de aleive.
Desperto de minha agonia,
Venho despido de altivez e falsidade
As horas se vão e os dias se passam, atravessam a realidade e caem
Quimeras vivem. Percorrem os caminhos denso de dor
Sustentam-se de aparências
Olvidam a essência do orbe
Regressem, ou sorvam o cálice amargo da dor.
É como esperar a nudez de um amanhecer cinzento na esfinge de emoção sobre meu sepulcro não basta abrir o coração não é bastante não ver!
Para contemplar os jardins frios e tristes.
É preciso também não ter amor nenhum.
Sem amor não há sentimentos: há idéias apenas.
Há só uma porta fechada, e todo o mundo lá fora; e um sonho do que se poderia ver se a porta se abrisse, mas que nunca é o que se espera quando se abre a porta.
Sinto-me morrer...
Somos produto de um erro;
Há tanta vida, dor e mentiras lá fora.
Transes da morte por fim nos esperam
Já não sabemos se a contraímos ou se ela a nós.

Marcadores:

11 de setembro de 2017 | 8:50 PM | 0 comentários

e nós rimos.
nós rimos tanto que, eu penso pra mim mesma, talvez seja isso. talvez essa seja a vida que eu nasci pra ter. talvez você seja aquele que me fará sentir humana. você, com toda certeza, conecta os pontos que eu nunca entendi antes. a gente vai ter uma vida espetacular, e você é o início disso;

Marcadores:

25 de julho de 2017 | 9:07 PM | 0 comentários

passou em branco
22 de julho de 2017 | 12:23 AM | 0 comentários

Estou aqui. consegui o emprego, consegui a casa, consegui a mudança. mas algo está errado, a cada soluço eu sinto algo partindo dentro de mim. eu não posso sentir frio, não é?
mas a cada noite eu me sinto cada vez mais fria e sozinha. tudo que não deveria estar errado no momento é o que me deixa mais confusa. Nós deveríamos estar felizes, bem, eu estava. Não tão bem assim, mas sempre tem que ter uma coisinha que faça as coisas darem errado. como eu sou burra. minha vontade é de nunca mais abrir a boca, já que dela só sai merda.

Marcadores:

10 de julho de 2017 | 11:31 PM | 0 comentários

me ame quando minha alma estiver despida. quando eu te revelar meus piores monstros. quando eu da minhas crises. quando bater a loucura, desconfiança, neurose. me ame quando ninguém me ver. quando eu estiver só. ser só. me ame quando eu não me amar. ame por nós dois. me ame quando eu for indiferente. quando eu surtar. quando eu querer espaço. me ame louca. desorientada. quando eu querer sumir. morrer. me ame quando eu for. quando eu voltar. quando eu pisar o pé e dizer não. e não. ponto. me ame quando eu chorar. soluçar. me ame nos meus dias infernais. quando eu fracassar. me ame quando eu não ser nada. pequena. insignificante. quando eu já estiver no fundo do poço. ou quando eu estiver em erupção. me ame. agora. assim. ou nem me ame.

Marcadores:

Universos
| 11:18 PM | 0 comentários




E assim, eu acredito, que quando eu fechar meus olhos todas as noites sem você ao meu lado, uma versão alternativa de mim, de nós, existe em um universo alternativo. Tão parecido e paralelo com a forma como vivemos, ainda tão diferente do que temos. Nesta vida alternativa, não vou escrever poemas sobre você. Nesta vida alternativa, você não ficará triste pensando em mim. Porque, nessa vida alternativa, nós temos um ao outro. Nesta vida alternativa você está feliz, e estou feliz, e ambos estamos felizes juntos. Nesta vida alternativa não desejarei sua felicidade, porque eu sou uma testemunha da sua felicidade e eu posso ver sua felicidade claramente refletido em seus olhos... eu vou ver que consigo realmente te fazer feliz. Cada vez que dizemos nossas boas noites, e doces sonhos, e cada vez que nos deitamos para dormir. Nesta vida alternativa não vou imaginar de como seus olhos apertam-se quando você sorri, e não estaremos pensando e sonhando com vidas alternativas, e não estaremos desejando isso para manter um ao outro próximo, mesmo que por um segundo. Porque nesta vida alternativa nós dois conseguimos. Nesta vida alternativa (talvez) Deus olhou para nós e antes de nascermos, ele disse: "Eu tornarei isso fácil desta vez".

Marcadores:

| 11:05 PM | 0 comentários

Um sereno senso de lenta inevitabilidade da gradual mudança na crosta da terra vem até a mim; um amor consumível, não por um deus, mas pelas limpas e inquebráveis pedras, as pedras sem nome, as ondas sem nome, a grama pisada, que são sem nome, tudo aquilo que foi definido momentaneamente e inconscientemente por aqueles que os observam. Com o sol queimando na pedra e na carne, o vento balançando a grama e o cabelo, há uma estranheza que cega o imenso inconsciente impessoal e as forças neutras irão durar, e que o organismo frágil, milagrosamente tricotado, que os interpreta, dá-lhes significado, se moverá um pouco, depois vacilará, falhará e se decomporá finalmente no solo anônimo, sem voz, sem rosto, sem identidade.

Marcadores:

| 11:02 PM | 0 comentários

Tudo que eu queria era tocar você;
Com isso quero dizer tocar o seu
Coração 
De uma forma que você esqueceria de todas as pessoas que chegaram ao seu corpo

Primeiro

Marcadores:

| 10:59 PM | 0 comentários

Uma crença minha: que todos os outros, da minha idade, são adultos, enquanto eu estou simplesmente disfarçada.

Marcadores:

| 10:56 PM | 0 comentários




Eu aprendi que logo abaixo da superfície há outro mundo, e ainda mundos diferentes à medida que você cava mais fundo. Eu sabia que novo, mas não consegui encontrar a prova. Era apenas uma espécie de sentimento. Há bondade em céus azuis e flores, mas outra força - uma dor e decadência selvagens - também acompanha tudo.

Marcadores:

Talvez eu apague
| 10:48 PM | 0 comentários


Eu quando estou mal, abro o bloco de notas e escrevo. Escrevo tudo, tudo que naquele momento me desespera, me aflige. Desabafo comigo mesma, imagino ou até mesmo crio diálogos pra tentar por pra fora um pouco do que me sufoca. Sei que aquele meu desabafo vai ficar ali arquivado por um tempo e que um dia, eu talvez apague. Quando eu tiver superado… Mas é isso que tem feito eu me sentir um pouco melhor referente a tudo… Mesmo eu sabendo que esse alívio é temporário, ele tem me confortado.

Marcadores:

11 de junho de 2017 | 8:28 AM | 0 comentários

Estou tão cansada de ser maltratada. Maltratada por mim mesma. Estar vulnerável e ser um alvo fácil. Cheguei à conclusão de que minhas palavras não significam nada, eu não sou nada.

Marcadores:

#11 trivialidades
3 de junho de 2017 | 12:45 AM | 0 comentários


faz tempo que não posto nada inútil aqui. senti falta disso. na minha vida não tem acontecido nada demais e eu tenho estado tão desanimada! meus dias se resumem a jogar, ler estudar e falar com meu chuchu. eu sinto que eu deveria fazer mais. por mais que eu me esforce eu não consigo encontrar emprego, nem estágio. de jeito nenhum. mês que vem completa um ano que estou desempregada e eu me sinto 100% inútil. quero sair da casa da minha mãe. quero me virar por conta própria. mas a cada dia eu me sinto mais e mais desanimada com a vida. não tem mais nada pra dizer mesmo. eu me sinto exausta.

Marcadores:

gravidade
2 de junho de 2017 | 11:56 PM | 0 comentários

eu falei ao mar que não há subidas, apenas descidas. eu disse ao céu que não existe abaixo, apenas o que há em cima. minha mente é como asas de borboletas meu corpo é como um balão de hélio. sinto o som do estático lento, triste, o som da minha vida inteira. uma vida inteira recebendo interferências e falhas de transmissão. não acredito que esqueci como é o som da chuva.

Marcadores:

sem sentido
7 de maio de 2017 | 8:18 PM | 0 comentários

Eu sinto que há olhos em meus pulsos, que precisam ser arrancados (os olhos, também os pulsos), Eles só olham para mim, atirando punhais com seus olhares, não importa o quanto eu tente evitar minha atenção, eu ainda vejo que eles estão me julgando em todas as minhas fases. Eu tentei ignorá-los, eu até tentei concordar com os olhos, mas não importa o que eu faça, é tudo apenas um pecado. Mas agora eu percebo a resposta que é mais sábia. Então, eu agarrei esta faca em minha mão, e esfaqueei-os nos olhos em meus pulsos, eu perfuro, eu fatio, e esfaqueio como a faca que está finalmente presa, agora os olhos não podem mais ver a essência.

Marcadores:

3 de maio de 2017 | 10:40 AM | 1 comentários

odeio esse sentimento. de estar aqui e ao mesmo tempo não estar; como se alguém se importasse, mas não se importa. como achar que pertence a algum lugar mas sentir-se completamente sozinha. inexistível. essa palavra não existe, eu também não.

Marcadores:

fix me
| 10:27 AM | 0 comentários

(02.05.2017 03:02AM)
eu não consigo dormir, eu não consigo comer. não tenho vontade de fazer nada além de olhar pro teto. não para as estrelas, está chovendo. para as paredes, pensando em nada. me sinto desanimada, um desânimo mórbido. parece que tudo dá errado. eu quero dormir. me sinto triste e me sinto sozinha. como poderia sequer pensar em uma vida além disso?

Marcadores:

28 de abril de 2017 | 11:01 AM | 0 comentários

done and exhausted
just let me rest
at least for a little while

Marcadores:

quem é você?
25 de abril de 2017 | 5:39 PM | 0 comentários



existem pessoas que são raio de sol, existem aquelas que são flor de cerejeira, velas de baunilha ou as cores do crepúsculo. as pessoas que são chão de mogno (eu acho essa palavra muito bonita), templos romanos, e terra depois de chover. eu não sei o que eu tô escrevendo. era pra ser poético e bonitinho. me perdi pensando no tipo de pessoas que existem. muitas... muitas pessoas. pessoas me deixam ansiosa, prefiro observar de longe. raio de sol, cerejeira, velas de baunilha.

Marcadores:

| 5:34 PM | 0 comentários

A garota esqueceu como ver 
A garota esqueceu como respirar 
A [emoção] é a sua prisão; sim 
Faz com que ela queira sumir, 
Faz com que ela fique com medo de sumir 
E o debate sobre a importância da bondade 
É feito, é decidido: 
Bondade não é real, 
Muito poucas coisas são - 
Talvez nada 
Talvez nada 
Ela deveria ficar dentro de si // 
Ela apodrecerá em sua tristeza 
Ela nunca experimentará juventude

(escrito em 03/04/2016)

Marcadores:

13 de abril de 2017 | 12:58 AM | 1 comentários

passadas descuidadas na rua, não checar se há carros vindo ou alguém seguindo. não cuidar se a quantidade de cloro faz bem pra sua pele sensível, se deveria tomar um banho de chuva e logo após um de chuveiro gelado e bem demorado. cortes nos pulsos, cortes nos tornozelos, brasa de cigarros nos joelhos, beliscões, puxões de cabelo, às vezes socos. eu sei que eu nunca cuidei de mim. sei que me odiei por muito tempo (e ainda odeio) eu sinto um vazio no peito e uma culpa por ter vontade de fazer mal a mim mesma. apesar da imensa vontade, eu não faço mais... não é nem por mim, é mais pelas pessoas que gostam de mim. pra falar a verdade é A pessoa. ele faz me sentir como se fosse a pessoa mais preciosa que existe... queria dizer que não mereço mas vai brigar comigo. obrigada por gostar de mim quando nem eu mesma me suporto.

Marcadores:

6 de abril de 2017 | 1:51 PM | 0 comentários

Understand, I’ll slip quietly away from the noisy crowd when I see the pale stars rising, blooming, over the oaks. I’ll pursue solitary pathways through the pale twilit meadows, with only this one dream: You come too.

Marcadores:

Another belief of mine: that everyone else my age is an adult, whereas I am merely in disguise.
| 1:48 PM | 0 comentários

Marcadores:

~
| 1:45 PM | 0 comentários

A serene sense of the slow inevitability of the gradual changes in the earth’s crust comes over me; a consuming love, not of a god, but of the clean unbroken sense that the rocks, which are nameless, the waves which are nameless, the ragged grass, which is nameless, are all defined momentarily through the consciousness of the being who observes them. With the sun burning into rock and flesh, and the wind ruffling grass and hair, there is an awareness that the blind immense unconscious impersonal and neutral forces will endure, and that the fragile, miraculously knit organism which interprets them, endows them with meaning, will move about for a little, then falter, fail, and decompose at last into the anonymous soil, voiceless, faceless, without identity.

Marcadores:

I feed from tears and sorrow, from desperation and FEAR!
22 de março de 2017 | 12:21 PM | 1 comentários

Eu não sou uma pessoa real. Apenas uma cor que você vê no céu às 5AM depois de passar a madrugada conversando com fantasmas e flertando com demônios. Onde você vive? Anjos perguntam e eu rio ao contar pra eles que não vivo fazem anos.

Marcadores:

642 Coisas sobre as quais: #23 Onde você estará daqui a 1 ano?
14 de março de 2017 | 3:18 PM | 0 comentários


Quando eu escrevi esse rascunho eu estava entediada no meu trabalho temporário de verão. eu não me lembro a data exata, mas sei que foi em Fevereiro/2017 às 19:42PM. Eu disse, pro meu bloquinho de rascunhos:

A essa hora, (19:42PM) vou ter chego em minha casa, acabei de chegar do trabalho. Estarei me preparando para tomar um banho enquanto converso com o meu namo-rido. Porque a essa altura nós estaremos morando juntos (ou mais ou menos juntos, já que ele só veio pra passar algumas semanas), a gente vai preparar a comida e eu estarei reclamando porque ele quer comer Cup Noodles e eu quero cozinhar. Espero ansiosamente por esse dia, mas, um dia de cada vez.

Marcadores:

Mil vidas. (#10 Trivialidades)
5 de fevereiro de 2017 | 7:18 PM | 0 comentários

As aulas da faculdade começam amanhã. eu chequei o portal do aluno e eles já já começam a liberar atividades... esse semestre tá diferente... eu estou tão desanimada. bem, semestre passado também estive desanimada, e ele foi um cu. as matérias deste parecem ser mais atraentes mas mesmo assim... eu não quero que seja como o passado. 

esse Ed é o que me fode, eu até posso lidar bem com as interativas, porque eu consigo fazer bem rápido, mas ed é insuportável... ao menos nesse semestre não é mais nenhum "Gramática", eu não tava aguentando mais. ~as aulas começam amanhã e essa sou eu já reclamando antes de iniciar~
Estou aproveitando esse último restinho de férias conversando pelo skype com meu namorado, infelizmente estamos a 1.959,8 km. minha rotina por enquanto não vai ficar tão apertada, mas quando eu começar a trabalhar ~se é que isso vai acontecer~ eu vou ficar bem mais ocupada image

Marcadores:

Não posso viver em um mundo no qual você não exista, Bella.
| 6:57 PM | 0 comentários

"Naquele instante, eu me senti bem. Inteira. Pude sentir meu coração batendo no peito, o sangue pulsando quente e rápido por minhas veias de novo. Meus pulmões encheram-se do doce aroma que vinha da pele dela. Era como se nunca tivesse havido um buraco em meu peito. Eu estava perfeita, não curada, mas como se nunca tivesse havido nenhuma ferida."

Marcadores:

führe mich, halte mich
| 6:53 PM | 0 comentários


Te amo, pela descoberta que você fez da melhor parte de mim mesma. E também por você ter encontrado no meu coração e ignorado meus caprichos, as fraquezas, as limitações, as fantasias, ter trazido à luz, um mundo de coisas lindas que eu mesma ignorava. Eu te amo e cada dia é como se eu fosse uma vida inteira. E eu te amo pelas mil vidas que você me dá.

Marcadores:

642 coisas sobre as quais escrever: #22 De que maneira alguém já salvou a sua vida?
| 6:47 PM | 0 comentários


Eu tinha mais ou menos uns 8/9 anos, e tinha ido com minha família a um cais que tem aqui na minha cidade, a grade de proteção do cais estava bem velha e desgastada, e rio estava fundo e cheio, me apoiei na grade sem perceber e quase caí, meu tio me puxou pela blusa antes que isso acontecesse. eu não sabia nem sei ainda nadar então acho que posso considerar uma quase morte... com isso e fiquei muito assustada chorei demais.

Marcadores:

Encaminhando (#9 trivialidades)
1 de fevereiro de 2017 | 4:48 PM | 0 comentários


Nos últimos dias fiquei sem idéias para escrever, digo escrever sobre tudo mesmo. Eu costumo escrever meus poemas e meus textos, eu realmente não fazia a menos ideia do que falar. Tenho estado trabalhando das 6 ás 11 numa loja de lembranças que tem aqui na cidade, e passo o restante do dia conversando com meu namorado... e eu também não tenho tido tanta inspiração pra escrever algo bonito, se é que as coisas que escrevo são bonitas. Bem, nós completamos um mês de namoro ontem. Ele me pediu em namoro dia 31/12, é uma data bem icônica, nós combinamos de comemorar sempre no último dia do mês, já que nem todos possuem 31 dias. Eu nem sei se consigo descrever a felicidade que me inunda ultimamente, jamais pensei ser capaz ou merecedora de sentir isso... ele me faz sonhar, pensar coisas bobas e me faz acreditar que eu realmente mereço ter um bom futuro.
Bem, fora isso, nada de realmente importante tem acontecido por aqui. Ainda estou receosa de falar com minha mãe sobre a mudança. hoje comentei sobre ter que estagiar e ela já vem com "mas você mora aqui no prado e não lá em teixeira", não tive coragem de retrucar porque eu sei que começaria uma discussão daquelas. eu tô tão cansada disso. mas enfim, meu plano no momento é conseguir algum dinheiro e me manter por um ou dois meses por enquanto, até que eu consiga um trabalho... lugar pra morar eu acho que tenho, vitória também pretende fazer o mesmo que eu, então é quase certo que vamos dividir o lugar. Eu tô muito animada pra isso mas sei que não vou sair do lugar se não tomar o primeiro passo... eu me sinto completamente apavorada.

Marcadores:

642 coisas sobre as quais escrever: #21 A última vez que você chorou.
| 3:45 PM | 0 comentários

me lembro que quando estava fazendo esse post eu tinha dito que foi quando vi que engordei 2kg. mas isso tem uns dias, e de lá pra cá chorei tantas vezes que fiquei desidratada tenho essa impressão, pelo menos. essa é uma tag complicada de se fazer... eu sou muito chorona e eu não preciso de 'exatamente' um motivo pra chorar. chorei porque minha unha quebrou, chorei de ansiedade, chorei porque vi um post no facebook de um gatinho que foi torturado e morto, chorei hoje de manhã porque achei que meu namorado ia terminar comigo. isso é uma merda, estou sentindo vontade de chorar agora, por ser tão chorona.

Marcadores:

flor
| 3:35 PM | 0 comentários

dos pés à cabeça os olhos desvendam os martírios e os vícios os espinhos arredios as pétalas delicadas a cor, o laço, o amor, a beleza da vida por inteiro.

Marcadores:

| 12:39 AM | 0 comentários

sobre o vidro das surpresas sobre os lábios atentos, bem acima do silêncio, eu escrevo seu nome.

Marcadores:

hoje
30 de janeiro de 2017 | 3:23 PM | 0 comentários

Não vejo a hora de estar com você na nossa casa podendo ser totalmente egoísta com o tempo e sua atenção. Meu egoísmo escondido cria lembranças que, pelos céus, vou fazer serem reais quando estivermos nos pertencendo em meio aos lençóis.

Marcadores:

2.746,6 km
3 de janeiro de 2017 | 3:09 PM | 0 comentários

Ah, como eu quero
Te guardar em um abraço
Te encher de carinho
Ter sua pele na minha

Dividir o mesmo espaço
Beijar os teus lábios
Dormir de conchinha

Não ver a hora
Esquecer de ir embora
Perder a noção do tempo

Te prender em um laço
Até sermos um nó
E guardar cada momento

Te fazer sorrir
Cantar pra você dormir
Sem existir partida

Dividir o lençol
O café da manhã
E o resto da vida

Marcadores:

🌿
| 3:04 PM | 0 comentários

— Como você está se sentindo hoje?
— Neste exato momento?
— Neste exato momento.
— Neste exato momento, me sinto perdida, eu acho. Meio vazia.
— Vazia como?
— Simplesmente vazia. Simplesmente nada.

Marcadores:

~
| 2:53 PM | 0 comentários

Hoje, quase tudo fez sentido pra mim
Aquele cigarro poderia me ajudar a respirar
Ás vezes eu quero sentir um pouco
Alguma razão para manter o ar vindo
No meu corpo cansado e quebrado
Eu queria ser aceita
Algo me diz que não deveria me importar
Não consigo deixar de me importar
A fumaça me consome.

Marcadores:

#2 DAM: Os livros mais legais da estante.
1 de janeiro de 2017 | 5:20 PM | 0 comentários


Fazendo essa postagem refletindo na vida nothing new, faço toda hora e ouvindo break in do Halestorm. Tô naqueles momentos em que não queria ser eu exatamente. Sei lá. [damn]

Eu não tenho tantos livros físicos, tenho mais os livros digitais, baixados de graça, os piratas pra ser mais exata. Eu quero mesmo aumentar minha coleção mas primeiro preciso encontrar um novo emprego. 

O duque e eu
Meu Anjo Loiro
 Véu de Lágrimas
 Os Cinco Porquinhos

Marcadores:

642 coisas sobre as quais escrever: #20 Faça uma lista de coisas que te deixam com raiva.
| 5:12 PM | 0 comentários


  • Pessoas que começam a falar e depois não terminam
  • Quando eu não ouvi algo que a pessoa disse aí eu peço pra ela repetir mas ela repete a parte que eu entedi.
  • Quando falam sobre um assunto muitas vezes, toda hora.
  • Coisas que caem.
  • Ciúmes (de mim mesma, quando eu sinto, e quando outras pessoas sentem de mim)

Marcadores:

642 coisas sobre as quais escrever: #19 Todo mundo tem um talento especial. Qual é a sua melhor habilidade?
| 5:06 PM | 0 comentários




Marcadores: