(#8 trivialidades)
28 de dezembro de 2016 | 2:11 PM | 1 comentários

Estou irritada. eu nem sei o motivo real disso, mas estou. acho que é calor. não sei... eu tô carente e me odiando. que droga. eu tô sentindo umas coisa muito nada a ver, e estou muito confusa com isso. Eu quero beber, chapar. eu preciso transar. não é brincadeira. eu tô confusa. eu quero sumir. eu odeio calor e odeio férias. eu não me importo com essa merda eu só quero sumir.

eu tô há um tempão tentando arranjar emprego aqui na cidade e ontem eu recebi uma proposta com 50% de chance de dar certo. eu quero que dê certo. eu preciso de grana. eu odeio ter que depender da mãe, me sinto culpada por viver nas custas dela e ser esse lixo de pessoa. eu tento melhorar. tento mesmo. eu quero sair daqui urgentemente. eu tenho desânimo, não quero viver. 

Marcadores:

I want to love you, I'm not enough (#7 trivialidades)
26 de dezembro de 2016 | 9:12 PM | 0 comentários


Nada suficiente. Eu sou covarde, já fique sabendo por aí. covarde e dependente. não me dê papo ou atenção demais porque eu vou querer toda hora. oh, well. Estou de férias. eu ia começar esse post como mais um dos meus textos sofridos mas decidi mudar, e é isso que eu pretendo fazer em 2017, estou resolvendo algumas coisas relacionadas a minha moradia na cidade vizinha, preciso também encontrar um trabalho, vai ser tudo bem fácil, já que eu estudo pra lá. O que vai ser difícil mesmo vai ser falar com minha mãe, não foi uma nem duas vezes que toquei nesse assunto com ela e ela meio que pirou. Eu quero fazer isso certo, quero morar sozinha, quero crescer... estou animada com tudo isso, mas preciso demonstrar que não já que ela vê tudo isso como um grande abandono. Bem... eu quero mesmo fazer isso.
Já estou de férias há mais ou menos um mês e já mudei pra casa do fundo, aqui é apertado e quente e eu não consigo dormir à noite, muito menos ter minha graciosa privacidade. E nessas férias também me tornei mais próxima de um certo @, ele é tão doce e fofo, acredito estar gostando dele... mas sei lá, parece estar tudo acontecendo muito rápido, eu não quero me precipitar... ele parece se sentir da mesma forma, eu acredito.
Bom, além disso não acredito ter mais alguma novidade... estive procurando emprego desde antes de o verão começar e até agora nada... estou realmente aflita porque preciso de dinheiro. A cidade fica lotada e as ofertas de trabalho aumentam no verão, se não consegui nem ao menos como garçonete, só reforça a minha ideia de mudar... e eu quero tanto fazer isso!

Marcadores:

642 coisas sobre as quais escrever: #18.1 Comece com: "não parecia muito naquele tempo que..."
24 de dezembro de 2016 | 4:39 PM | 0 comentários

Não parecia muito naquele tempo que eu iria gostar de você, nós seríamos ótimos amigos se você não tivesse gostado de mim e estragado tudo. Eu ainda sofro com isso, não quero mentir, eu não queria gostar de você. Mas passou, eu preciso superar, que falha, somos dois idiotas.

Marcadores:

642 coisas sobre as quais escrever: #17 Um presente para a sua mãe
| 4:38 PM | 0 comentários

Viagem. Mas não pode ser muitos dias, nem poucos dias. 6 servem. Assim como também não pode ser pra muito longe. Dinheiro, tem que vir no pacote também. Eu me canso de conversar com minha mãe, ela é tão conservadora e não gosta de se arriscar, não que eu me arrisque, mas diferente de mim, ela se importa muito com o que as pessoas vão pensar e isso é irritante, tenho que fingir que não ligo pra isso porque se não ela se magoa. Ela gostaria de ganhar no jogo do bicho ou na mega-sena.

Marcadores:

642 coisas sobre as quais escrever: #16 A mais intrigante e inesperada conversa com um(a) desconhecido(a) que você já teve.
| 3:27 PM | 0 comentários


Well, não foi bem uma conversa, foi uma coisa que um garoto da faculdade falou pra mim. "Eu nunca tinha te visto rir assim antes" eu estava cantando músicas de Halestorm com Vitória e eu acho que nunca vou me esquecer desse dia. Eu não sabia que eu era tão carrancuda assim, eu sempre fui quieta, ficava na minha, as pessoas me diziam que eu era metida, isso é uma mentira;

 mas teve também essa, que eu já havia postado aqui.

Marcadores:

642 coisas sobre as quais escrever: #15 Escreva sobre seu filme favorito.
| 2:27 PM | 0 comentários


Eu não tenho um filme favorito. Eu gosto de filmes. Eu não vejo essa necessidade de me rotular numa certa categoria de: AMO TANTO TAL COISA VAI FICAR ALI COMO MEU PREFERIDO PRA SEMPRE. Você sempre vai mudar a sua opinião não é? Ficar estagnado é chato demais.

Marcadores:

642 coisas sobre as quais escrever: #14 Descreva cada pessoa da sua família em uma palavra.
| 2:25 PM | 0 comentários



Mãe: Protetora.
Cida (irmã do meio): Amiga.
Dan (irmã mais velha): Insuportável.
Sávio (Sobrinho): Projeto.
Samyra (Sobrinha): Indiferente.
Fábio (Cunhado): Chato.
Joyce (prima): Era.
Jack (prima): Indiferente.
Jéssica (prima): indiferente.

Marcadores:

642 coisas sobre as quais escrever: #13 Escreva recadinhos de "biscoito da sorte".
| 2:22 PM | 1 comentários


FODA-SE. Você não terá sorte. Próxima tentativa. Ouvi dizer que você vai se sentir mais feliz se ouvir Lana Del Rey. Você deveria postar menos e se importar mais. Isso é uma mentira. Você ainda acredita nessa bobagem? Signos é meu cu. Deixa de ser hipócrita. @sadomasoqueen, meu twitter, xox. Senpai me nota. I miss the misery. Já sentiu falta do Ex hoje?

Marcadores:

642 coisas sobre as quais escrever: #12 Cleptomania
11 de dezembro de 2016 | 10:49 AM | 1 comentários

É cleptomania quando, você querer o objeto, mas não tem dinheiro pra pagar?
Preciso confessar, já roubei coisas.
Me sinto o Robin Wood ao dizer isso mas só eram coisas que ninguém queria. Tipo os livros que deveriam estar na biblioteca da escola mas estavam no depósito, disse ao diretor mas ele respondeu que aqueles seriam jogados no lixo. Por isso, não me sinto culpada ao admitir que roubei coisas. Eu precisava de livros, eu tinha sido uma pobre alma que havia lido só 4 livros em 4 meses do ano, como eu iria sobreviver? Que vício mais horrível!

Marcadores:

642 coisas sobre as quais escrever: #11 Escreva uma carta de amor para quem já se foi.
| 10:48 AM | 1 comentários

Eu te amava.
Oi.
Não é assim que se deve começar uma carta, mas, já mandei, na lata. Não gosto de rodeios, e você sabe disso. Foi culpa minha você ter ido, mas você não fez questão de ficar e acredito que isso signifique que foi culpa sua também.
Mas enfim, isso é uma carta de amor e eu não devo te esculhambar, fiquei sabendo. Eu gostava de suas olheiras, seu cabelo bagunçado, suas roupas amarrotadas, seu gosto peculiar pra cigarros, o jeito que você olhava pra mim... Eu gostava de você. Talvez você seja a personificação perfeita de algo que eu esperava pra minha vida. Eu não poderia te idolatrar menos. Sua voz, seu beijo, seu toque. Até suas frescuras pra comida eu gostava. Por que partiu? Por que partiu meu coração? Você se foi, e levou uma parte de mim junto. Agora eu me sinto estranha, incompleta. Poderia me devolver por favor?

Marcadores:

Escrevendo até dar sono - 4:45AM
| 10:46 AM | 0 comentários

Preciso escovar os dentes. Desligar a música, fechar os olhos. Meus dedos estão doendo de tanto digitar e eu não consigo acreditar que mãe não ouviu todo esse barulho de teclas. Eu deveria estar  terminando de revisar a fanfic para postar amanhã, mas eu tô com preguiça e não consigo parar de escrever coisas para o blog. Eu deveria fazer tantas coisas. Cansada.

Marcadores:

642 coisas sobre as quais escrever: #10 O que você comeu no café-da-manhã?
| 10:45 AM | 0 comentários

Café. Puro, preto e uma colherzinha de açúcar. Sabe, estou tentando emagrecer e cortei praticamente tudo do meu cardápio, mas uma coisa que preciso cortar mesmo é o pão. Fico o dia inteiro certinho na dieta mas quando chega a noite tenho compulsão por pão... Me odeio muito por causa disso. Ás vezes vomito, na outra tomo inúmeros laxantes, mas eu quero aprender a me controlar... Talvez amanhã não seja mais assim. Quero voltar a estudar beeeeeem mais magra do que estou e o momento é agora. Fecha a boca, porca gorda.

Marcadores:

642 coisas sobre as quais escrever: #9 Complete a sequência e continue escrevendo: "meu primeiro____" ou "minha primeira_____".
| 10:44 AM | 0 comentários


Meu primeiro notebook ganhei quando tinha 15 anos. Foi nele que descobri meu amor pela tecnologia, html e internet, e meu vício também. Foi por causa dele que briguei muitas vezes com minha mãe (pirralhice minha, por causa de bobagem), ele foi bem importante. Foi onde zerei todos os meus RE. Onde assisti pornografia pela primeira vez. Onde descobri meu amor por escrever. Onde tive meus primeiros blogs, onde me descobri pela primeira vez. Ainda o tenho até hoje, só não funciona mais.

Marcadores:

Fear and loathing
| 10:42 AM | 0 comentários

Eu vivo muitas vidas diferentes, sendo pessoas diferentes. Eu vivo minha vida no vazio. Eu encho meu coração de vazio. Eu não quero ferrar ninguém, talvez, só talvez eu queira uns amigos pra conversar. Não quero viver no vazio, quero sentir como se estivesse flutuando e não como se estivesse em apreensão... Quero me sentir bem. Eu não consigo ser ao comigo mesma, talvez eu devesse simplesmente  acabar com tudo. Tenho pessoas diferentes na minha cabeça. Me pergunto quem vai aparecer no próximo surto. Eu poderia me entupir de remédios. Me pergunto de quem eles gostam mais.

Marcadores:

642 coisas sobre as quais escrever: #8 Onde você se esconde (da vida, dos pais, dos problemas, etc)?
| 10:41 AM | 0 comentários



Meu quarto. Eu sinto tanto aconchego aqui, mesmo assim eu me sinto mal porque eu passo o dia inteiro aqui, de vez em quando vou para a sala espairecer. No entanto, creio que a melhor resposta para essa pergunta teria sido o twitter. Só ele sabe de tudo que já ocorreu comigo. Eu realmente conto tudo pra ele. Acho que é a única rede social que eu genuinamente uso. E eu me sinto bem por lá, porque há pessoas que confio e me identifico. Basta só ver a quantidade de tweets pra ter certeza ~187mil~ por enquanto, e ainda assim acho muito pouco, já que estou ali desde 2011, só na conta @sadomasoqueen. Creio que vai ser uma coisa que vou levar pra vida inteira.

Marcadores:

642 coisas sobre as quais escrever: #7 Descreva uma pessoa excêntrica em ação.
| 10:39 AM | 0 comentários


Eu realmente não tenho a menor ideia de como poderia explorar isso. Talvez eu consiga explicar melhor com pessoas ansiosas. O pensamento vai a mil, a testa começa a surgir as partículas de suor, as mãos geladas suando frio, o coração com taquicardia, completamente acelerado, a perna sacudindo para ter algum alívio, mas sem sucesso. Respira, um, dois, três. Começa a roer as unhas, olhando para todos os lados, iniciando a louca coçada na cabeça. As palavras tropeçam e embolam na língua. Tudo isso porque está esperando um troco na padaria e tem muita gente ao redor.

Marcadores:

642 coisas sobre as quais escrever: #6 Cinco coisas que você vê do lado de fora da janela mais próxima.
| 10:37 AM | 0 comentários


Eu já tinha feito esse post quando eu estava na viagem para a faculdade, foi há uns meses atrás, mas perdi o rascunho. Eu me lembro das coisas que vi na janela, eram: uma casa ainda em construção, um cachorro preto e branco, uma mulher estendendo uma cortina azul no varal, uma caixa d'água aberta no quintal da frente dessa casa e um outdoor com propaganda de tintas Suvinil. Me impressionei por ter lembrado dessas coisas, o ônibus estava em movimento e eu olhei bem rápido. Eu não entendo meu cérebro, coisas importantes ele simplesmente descarta!

Marcadores:

Eu nunca consigo terminar na
| 10:35 AM | 0 comentários


Eu me sinto triste. Não consigo evitar de me sentir assim já que tudo dá errado e a maioria das coisas que acontecem são culpa minha. Eu não consigo fazer nada direito. Sou feia e odeio meu corpo, ninguém jamais se interessaria por mim, eu sou uma alma partida, fragmentada, as outras eu me completam, mas elas são loucas e me deixam louca. Eu vivo muitas vidas diferentes, sendo diferentes pessoas por muito tempo. Eu sinto vazio em meu coração. Minhas personalidades flutuam em meu interior e eu já nem sei mais quem eu sou. Aliás, esse nem era o propósito desse post.

Constituída por um coração partido agora eu morro lentamente. Eu queria ser uma estrela. Uma estrela cadente. Estou morrendo como uma estrela cadente. Minhas personalidades flutuam, mas eu sinto como se eu fosse ninguém. Normal normal normal normal. É como se houvesse um buraco no meu interior, e eu o preencho com pílulas. De volta ao zero eu me sinto tão triste. Aqui vou eu. 

Marcadores:

10/12/2016
| 10:32 AM | 0 comentários

                                         

Por que você fez eu me sentir importante e depois simplesmente partiu? Porque é tão complicado assim continuarmos a sermos amigos? Eu me sinto tão sozinha. Eu preciso de alguém pra conversar, como a gente costumava fazer toda madrugada, até minha mãe descobrir e desligar o wifi toda a noite. Eu me sinto tão malditamente sozinha. Eu troquei aqueles doces por cigarros. Eu troquei as palavras doces por bebidas. Eu troquei seus beijos por lágrimas. Eu não quero admitir que sinto sua falta porque você não sente a minha. Eu sinto a falta de alguém, pra ser meu amigo. Eu me sinto tão fodidamente sozinha. Eu não sinto que conseguirei me abrir novamente com alguém como eu conversava com você. Nossas conversas sobre sexo e coca-cola. E quando nosso grupinho do twitter ficava todo reunido, hoje mal falo com minha prima, acho que ela me odeia. Eu só queria ser feliz daquele jeito de novo. Lembra de quando a debs falou sobre a lenda do akai ito? De amores que se reencontram e se desencontram sempre, mas no final sempre ficam juntas. Isso já aconteceu três vezes com a gente não é? Mas da última vez eu tive certeza que não vou mesmo ficar com você. Você mudou. Você se casou, não foi? Bem, meus parabéns. Ainda se lembra do fio vermelho que está ligando seu dedinho mindinho ao meu? Eu me sinto sozinha.

"eu gosto de ver minha namorada desarrumada, pq eu fico pensando, vai ser assim quando a gente casar"
Você me via desarrumada... Mas você não ficou comigo. Foi culpa minha sim, mas não haja como se eu não tivesse lutado por você. E depois de um tempo, eu só cansei, porque você demonstrou que não valia a pena. E eu não consigo evitar de pensar que ficarei para sempre sozinha, e que, diabos, estou melhor assim, mas eu me sinto malditamente sozinha.

Marcadores: